Friday, July 07, 2006

Folha Online - "Cada Panela tem sua Tampa"

http://www1.folha.uol.com.br/folha/treinamento/novoemfolha40/te14022006040.shtml


14/02/2006
Íntegra de entrevista: Eliete Medeiros
Psicóloga Clínica

VOCÊ ACHA QUE A EXPRESSÃO "CADA PANELA TEM SUA TAMPA" FAZ ALGUM SENTIDO?

Realmente é uma verdade. É o que todos nós buscamos em um relacionamento. Nós procuramos uma pessoa que se encaixe exatamente. Tem o ideal e o real e nós buscamos sempre o par ideal. Existe a atração física e psíquica e há também as neuroses de relacionamento. Cada um acha a sua tampa e quando começa a perceber que sua tampa tem um amassadinho aqui, outro ali... Os casais começam a se desentender, porque eles querem se modular exatamente àquilo que idealizaram dos seus pares. E muitas pessoas me procuram, ou em casal ou individualmente, para saber como elas devem obedecer, se encaixar, no comportamento que os seus pares desejam. Eu entendo como uma questão inconsciente... Mas, para um relacionamento ser bom, agradável, é preciso aceitar que um relacionamento ideal não existe. Isso não existe. É fantasia. Existe o real que se baseia em muito diálogo, em harmonia, aceitação e flexibilidade para esse encaixe. Quando as pessoas são muito rígidas quanto à aceitação, querem moldar a pessoa de todo jeito, então se cria um relacionamento neurótico. Aqueles que desmancham hoje, brigam e batem a porta, ou então somem, mas depois de uma semana não agüentam e voltam. Dizem que se amam e que não agüentam viver um sem o outro. E justificam dizendo que "olha, você teve esse comportamento de novo". Então as pessoas gostam de algumas partes dessa tampa, digamos assim, mas a parte "amassadinha" ela não aceita. Só quer a perfeição. Elas não vêem que elas também têm uns "amassadinhos".

HÁ QUEM DIGA QUE AS PESSOAS NÃO ACHAM O PAR, E SIM A NEUROSE QUE AS COMPLETA. ISSO É VERDADE? VOCÊ PODE CITAR EXEMPLOS?

Eu tenho vários exemplos de tipos de casais neuróticos. Então, por exemplo, hoje eu atendi uma pessoa, um casal, que estava apaixonado loucamente. Eles tinham uma admiração muito grande. Ele por ela e ela por ele. Eles têm vidas diferentes, níveis sociais diferentes. Era o ideal: homem e mulher ideais, o típico caso de tampa da panela. Cada um foi se ajeitando ao outro e foram morar juntos. Aí a neurose começou! Eu traço o perfil das pessoas aqui na agência e faço uma consulta do que elas querem, para elas escolherem o que é real e o que é ideal. Esse casal, por exemplo, eles se dão muito bem sexualmente, porém no dia-a-dia não. A questão do nível social pesou muito, porque ela ganha mais do que ele, é uma mulher cabeça, trabalha fora, etc. Então ela tem uma vida social bem ativa e ele como está começando a carreira, ele ganha menos, a família dele é extremamente humilde. Então a agressividade dele veio à tona. E ela não aceita a obediência, porque ela acha que tem que ser de igual para igual. Na verdade, eles buscaram um par ideal, mas a realidade deles virou uma neurose.

EXISTIRIAM TIPOS A SEREM CLASSIFICADOS MESMO, COMO O MANDÃO E O DOMINADO, O EXTROVERTIDO E O INTROVERTIDO, O ATIVO E O PASSIVO?

O mandão e o mandado eles se afinam, não é neurose, porque um é ativo e o utro é passivo.

MAS JUSTAMENTE O FATO DE UM DOS DOIS EXERCER UM SÓ PAPEL NÃO CRIA UMA NEUROSE?

Não, porque aí pode existir uma aceitação.

E SE ESSA ACEITAÇÃO NÃO OCORRER, PODE PINTAR UMA NEUROSE, NÃO?

Quando os dois são ativos, por exemplo. Os dois são mandões, são extrovertidos e dominantes, querem mandar. O perfil de mulher que é assim... Eu tenho uma pesquisa feita neste ano sobre isso.

QUE PESQUISA É ESSA?

Quais as profissões e os comportamentos mais rejeitados. Já saiu em vários jornais e várias revistas. Por exemplo, a advogada, quais são as características que a faz ser tão rejeitada. Elas são tachadas de mandonas, sempre têm razão. Então isso acaba atingindo o relacionamento, porque os homens gostam da postura de serem os mandões no relacionamento.

QUAL É A MELHOR "TAMPA" PARA ALGUÉM NERVOSO, SEMPRE PRESTES A EXPLODIR, COMO UMA PANELA DE PRESSÃO?

O que uma dona-de-casa faz para destampar uma panela de pressão? Ela tira o pino e a coloca debaixo da torneira para esfriar um pouco. É o comportamento que um homem ou mulher tem que ter. E não aumentar a a temperatura, mas, sim, diminuí-la. Se um homem ou uma mulher são explosivos, qual o melhor comportamento? Não bater de frente com eles. Tem que acalmar ou calar, pelo menos, durante o momento. Tem que procurar um diálogo racional.

CASAIS QUE FUNCIONAM SÃO AQUELES QUE DE ALGUMA FORMA SE ENCAIXAM?

Não necessariamente. Eles não têm que ser tampas de panelas. É preciso que eles tenham sensibilidade. Isso é o ideal para que eles se encaixem. Eles podem se encaixar hoje, mas daqui a dois anos pode ser que eles não se encaixem mais. Uma pessoa evoluiu mais culturalmente, outra quer se desenvolver mais profissionalmente. É uma questão de sensibilidade dos casais... Se existe amor, existe você e o que você é. Não falo de abusos, nem de traição, não é isso que estou falando. De repente é uma mudança de atitude, por exemplo, ela não toma iniciativa, não quero mais porque ela não chega nunca no horário, são coisas que se não forem abusivas, podem ser conversadas e aceitas.

COM SUA EXPERIÊNCIA CLÍNICA, O QUE PROVOCA A FORMAÇÃO DE UM CASAL DO TIPO IOIÔ, QUE SE JUNTA E SEPARA MUITAS VEZES?

O medo. Um dos dois acha que não se gosta mais, mas, de repente, te larga e depois volta pelo medo de perder. É uma neurose bem forte.

ESSA POSSE É NEURA PURA NUM RELACIONAMENTO?

Sim, muita. A posse provoca muito esse tipo de relação. É um tipo de neurose. Uma outra coisa muito importante que vem acontecendo com os casais é a competição forte. Muita competição... Tanto profissional como a competição de auto-afirmação. No momento em que ela fica ao lado da outra, ela precisa justamente humilhar e desvalorizar o outro, mesmo que haja uma atração forte. É uma neurose bastante grave e na maioria das vezes tem que ser tratada. Ou então realmente esse casal tem que se desvincular, porque não há condições de continuar. Quem tem esses relacionamentos de posse, ciúmes excessivos tem que se tratar.

COMO?

Com terapia mesmo.

E POR QUE AS PESSOAS SE RELACIONAM DESSA FORMA? O QUE ESTÁ POR TRÁS DISSO?

Na verdade essas pessoas vão mais pela aparência do que, fato, pelo conhecimento de alguém. São formas de personalidade e comportamento que as pessoas desenvolveram ao longo da vida.

ESSAS PESSOAS QUE CRIAM RELACIONAMENTOS INSTÁVEIS TERIAM UM PERFIL EMOCIONAL EM COMUM?

Como assim?

SE ESSAS RELAÇÕES NÃO ESTÃO VINCULADAS A UM HISTÓRICO DE VIDA FAMILIAR CONTURBADO, POR EXEMPLO?

Isso está relacionado à grande maioria dos casos. Quando um homem mais velho, por exemplo, só busca meninas mais novas, ele está se auto-afirmando. Na verdade, essa neurose dele ainda se achar jovem é uma neurose total.

E QUEM TEVE PAIS BRIGÕES QUE SE BATIAM, QUE SE XINGAVAM, QUE FICAVAM NESSE VAIVÉM? ISSO INFLUENCIA NA MANEIRA COMO ESSAS PESSOAS SE RELACIONAM?

Influencia sim na formação da criança. Até sete, oito anos a criança não lembra dos acontecimentos em família, mas grava tudo. O que ela assiste em casa, até mesmo na adolescência, o que ela vê de trauma, de chocante em relacionamento, principalmente em casa é que ela carrega para a vida dela.

ELA REPRODUZ ISSO?

Sim.

MAS A FORMAÇÃO DE UM RELACIONAMENTO NEURÓTICO ESTÁ RELACIONADA SÓ À QUESTÃO FAMILIAR OU TAMBÉM PODE ESTAR LIGADO A UMA EXPERIÊNCIA INDIVIDUAL, EM GRUPO OU PESSOAL DE ALGUÉM? A PESSOA TAMBÉM PODE DESENVOLVER UMA NEUROSE INDEPENDENTEMENTE DO HISTÓRICO FAMILIAR?

Sim, por conta de uma marca, porque ela tem algum complexo, se sente feia, rejeitada, por "n" fatores. O primeiro, básico é o familiar e a experiência que essa pessoa teve em casa. O comportamento num relacionamento depende também das experiências que ela teve ao longo da vida, se já foi traído (a) ou não, se alguém já bateu nela, comportamentos que traumatizaram os relacionamentos afetivos delas. Daí, elas podem desenvolver neuroses. Tipo "não vou ficar com ele, porque se ele fuma, ele atrai". A pessoa relaciona comportamentos do outro que não têm nada a ver aos traumas de relacionamentos passados.

COMO ESSAS PESSOAS PODEM SE TRATAR?

Com psicoterapia mesmo. Elas precisam se tratar, precisam descobrir o que as traumatiza. Às vezes é preciso várias sessões semanais uma, duas ou três, o que a pessoa precisar... Depende da gravidade da coisa. A partir daí, ao falar, a pessoa vai tomando consciência, atualizando os aqruivos que ela têm, trabalhando o seu cognitivo e sua forma de pensar.

SENTIMENTOS DE CULPA E DE CARÊNCIA REGEM ESSAS RELAÇÕES? SÃO RELAÇÕES DE DEPENDÊNCIA?

O sentimento é mais de posse mesmo.

ISSO SERIA UMA TENDÊNCIA DA PÓS MODERNIDADE? RELAÇÕES BASEADAS EM IDEAIS DE CONSUMO, IMEDIATISMO, INDIVIDUALISMO, NARCISISMO? SE SIM, POR QUÊ?

Está muito relacionada ao papel da mulher. Antigamente a mulher não trabalhava fora, tinha uma utilidade forte só dentro de casa para cuidar dos filhos e do marido. Como todo mundo sabe, a coisa mudou.

Eliete Medeiros é psicológa clínica  - especialista em relacionamentos humanos e de casais

1 comment:

Vinicius said...

Será que uma pessoa pode não consiguir arrumar um par por se achar feio, mas que se acaha feio e se cuida.